MTur apresenta ações para a retomada do turismo a interlocutores do PRT

O Ministério do Turismo realizou, nesta sexta-feira (09.10), um webinário com representantes estaduais do Programa de Regionalização do Turismo (PRT), que atua no planejamento compartilhado de políticas voltadas a promoção do setor turístico no país. O encontro foi organizado pela Secretaria Nacional de Atração de Investimentos, Parcerias e Concessões (SNAIC) com o objetivo de reforçar as ações e programas elaborados pela Pasta para o desenvolvimento do setor no pós-pandemia.

Durante o encontro virtual, o secretário da SNAIC, Lucas Fiuza, destacou a importância de os interlocutores conhecerem as áreas envolvidas no PRT e esclareceu que o alinhamento das ações realizadas pelas três esferas do governo (Governo Federal, estados e municípios) é essencial para auxiliar na construção de políticas públicas integradas.

“São os interlocutores que recebem as orientações do Ministério do Turismo para o planejamento, implementação, acompanhamento e avaliação das ações do PRT em âmbitos estadual, regional e municipal. Eles atuam de forma articulada, formando uma rede que é fonte de troca de experiências, intercâmbio e inovação”, ressaltou.

O webinário é uma iniciativa da Coordenação Geral de Áreas Estratégicas de Desenvolvimento Turístico e também teve o objetivo de apresentar à rede de interlocutores a recém-criada secretaria do MTur: a Secretaria Nacional de Atração de Investimentos, Parcerias e Concessões, responsável pelas áreas de Regionalização, Ordenamento, Ativos de Domínio Público, Mobilidade e Conectividade, Atração de Investimentos e Apoio ao Crédito.

O diretor do departamento de Ordenamento, Parcerias e Concessões, Eduardo Nóbrega, frisou que as áreas da secretaria são complementares e que o Programa de Regionalização permite que a Pasta conheça os ativos naturais e culturais das regiões e as demandas e necessidades dos gestores. “Isso nos ajuda a entender o cenário e tornar nossas políticas mais aderentes às necessidades da região. Também podemos ver quais programas do MTur podem ser encaixados para suprir os gargalos que, eventualmente, possam prejudicar o desenvolvimento turístico local”, explicou.